No centro do Isolamento
Domingo, 12 de Março de 2006
Turbilhão de nada
turbilhao.jpg


Vivem-se dias de confusão
Onde não há mundo que não se desfaça
Onde a certeza se constrói em solo movediço
E se vai perdendo afundada
Num endurecer de enguiço
Em todo um turbilhão de nada.

Assim se monta e desmonta
Um coração em mil andaimes
Seguro sobre uns e outros tantos
Fonemas e idiomas distantes
Perpetuando-se o teatro de desencantos
Em olhares que se procuram por instantes…


publicado por V. Pimenta às 03:38
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Francesco Leite a 8 de Junho de 2016 às 16:03
Você passa na mensagem do poema o que almejou passar. Em uma década a mensagem continua viva aos tempos atuais, em muitos corações neste planetinha que vivemos. Excelente!


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Foz

momentâneos

Turvo

Turbilhão de nada

iguarias

A QUÍMICA E A FÍSICA DOS ...

Efémera

Excertos

Sentenças...

...

arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds