No centro do Isolamento
Sábado, 28 de Maio de 2005
Marioneta
marioneta.jpg

Alguém que me cale
Que impeça estes espasmos de alma
Que silencie e amordace
O absurdo que de mim emana.

Alguém que me mate as palavras a mais
O ridículo que de mim transborda
Que estanque tão perversa e descontrolada mente
Que me cale
E não diga nada

Alguém que me feche os olhos
Que sorria
Que seja eu antes
Que fale por mim
Que controle
A marioneta
O fantoche velho que sou.


publicado por V. Pimenta às 17:52
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 9 de Junho de 2005 às 17:12
pa n k as vezes keira mandart calar mas este é para mim dos melhores poemas k escrevest!
Falas da cena do "EU" de uma forma altamente.Artaud
(http://www.artears.blogspot.com)
(mailto:vimux@hotmail.com)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Foz

momentâneos

Turvo

Turbilhão de nada

iguarias

A QUÍMICA E A FÍSICA DOS ...

Efémera

Excertos

Sentenças...

...

arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds