No centro do Isolamento
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2004
Senhores de Tudo

Rudes e simples vidas


Em vales de pinheiros e colmo


Muralhas anãs de granito e musgo


Retalhando feudalismos e escravidão


O amor genealógico da submissão


A senhores de preguiça. falsos Midas.


Basta-lhes a atenção


Em dias de festa e romarias


Que os meninos e suas tias


Lhes dêem uma côdea de pão


                       


Quão ingénuo é o povo


Que se deixa castigar amordaçado


Quando não é novo


O frágil chicote hierarquizado.


Basta erguer uma mão


A que segura a enxada


Que os da vida flauteada


Logo se prostrarão


 



publicado por V. Pimenta às 10:49
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Foz

momentâneos

Turvo

Turbilhão de nada

iguarias

A QUÍMICA E A FÍSICA DOS ...

Efémera

Excertos

Sentenças...

...

arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds