No centro do Isolamento
Segunda-feira, 3 de Janeiro de 2005
Galeria
Não há sonho que a realidade não desfaça
Num acordar…
A gravata que no meu pescoço enlaça
Neste constante sentido
A confusão que me encaminha
Retido
Neste corredor de um caminho só.
Por muito que fique estanque
Há alguém que me empurra
A uma porta final que me aguarda
Em frente.

Se é esta vida
Uma galeria de uma visita só
Quero-a guardiã dos melhores quadros
Obras de arte, os meus momentos
Bons e maus
Dignos de expor
Perdidos alguns quando a minha mente se tornar pó.


publicado por V. Pimenta às 16:39
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Foz

momentâneos

Turvo

Turbilhão de nada

iguarias

A QUÍMICA E A FÍSICA DOS ...

Efémera

Excertos

Sentenças...

...

arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds