No centro do Isolamento
Sábado, 10 de Abril de 2004
Ode
Descanso efémero
Abraço de luxúria
Que sustentas a insane e imatura
Mente possessa...
Esvai-se a noite na promessa
De te beijar com gosto
E a tua mão sobre o meu rosto
Ampara a difícil descoberta...
Riem-se os demais olheiros
Do teatro que montamos, dementes
Riem-se com todos os dentes
No gargalhar cúmplice de interesseiros...
Sabemos os dois...
Do carinho que trazias em teus dedos
Mão que me afugentou os medos
E nos tornou amantes, heróis...


publicado por V. Pimenta às 03:39
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 14 de Abril de 2004 às 20:23
espectaculo, cheio de dramas, comédias, traições, invejas,interesses, este é o teatro da nossa vida...
abraçoJoão Rodrigues
(http://teoriazero.blogspot.com)
(mailto:agaethis@sapo.pt)


De Anónimo a 11 de Abril de 2004 às 19:26
Lolllolll...nao sei. Provavelmente nao.Pi_demente
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 10 de Abril de 2004 às 21:25
Isso é para quem eu penso que é??João Martinho
</a>
(mailto:joao.martinho@sapo.pt)


Comentar post