No centro do Isolamento
Sábado, 17 de Julho de 2004
(Sem título)
Choro e choro...
Como que o ar da realidade me expandisse os pulmões pela primeira vez.
Nada...
Já não durmo numa seda de amor.
Já não te estou junto e placentário.
A alimentar-me vivo e dependente.
Choro, porque tenho de crescer só.


publicado por V. Pimenta às 13:32
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 20 de Julho de 2004 às 00:16
A qualidade lírica é inequívoca.
Quanto ao problema real, sinto-me à nora... Mas dá-me a sensação de que perdeste alguém, ou algum sentimento, que te faz falta. Maybe your fake plastic love...
Um abraço Vítor.Pedro Barbosa
(http://24onduty.blogspot.com)
(mailto:kc_man17@hotmail.com)


De Anónimo a 19 de Julho de 2004 às 21:22
Leio o teu poema e tudo o que me apetece fazer é consolar-te... Não sei porque me sinto assim... Se pelo menos me conseguisse exprimir como tu!Teresa
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 17 de Julho de 2004 às 14:15
Agora tens que ser forte e vais sê-lo!!
Tens objectivos e vais alcançá-los. Não te esqueças das pessoas que tanto apostam em ti.
Força nisso!!!João da Cal
(http://www.syncope.blogspot.com)
(mailto:teoriazero@hotmail.com)


Comentar post