No centro do Isolamento
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2004
Anjo Negro
Sopra o vento
A chuva doida que me embala os dias
Caem dos tectos de minh’alma
Gotas suaves
Tuas
Que antes fossem lágrimas
Que suor de calor ausente.
Não me surges nunca
Anjo negro…
Sombra ao longe sob a Arcádia
De poder na mão
Licença sobre meu corpo
E minha vida…

E eu aqui
Por mim desamparado
Sozinho
Espero por ti
Anjo negro em meu caminho
A este mundo destinado
Não adiantam lágrimas minhas
São águas vãs em chão molhado…


publicado por V. Pimenta às 15:47
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 28 de Outubro de 2004 às 12:59
É a vida sim... Os problemas de uns podem ser anedotas para outros. Mas a capacidade de nos colocarmos na posição de outra pessoa e tentar ver o mundo pelos seus olhos é muito mais importante que o impulso de crítica cega.Blue Wing
(http:\\translucencias.blogs.sapo.pt)
(mailto:bluewing@sapo.pt)


De Anónimo a 25 de Outubro de 2004 às 14:19
é a vida...Tamega
(http://www.tamega.blogspot.com)
(mailto:)


De Anónimo a 25 de Outubro de 2004 às 11:39
Típica poesia adolescente... deprimente.Laiko
</a>
(mailto:)


Comentar post