No centro do Isolamento
Domingo, 26 de Fevereiro de 2006
iguarias
Mostraste-me, meu amor
O teu corpo em iguarias
Tantas como as vezes que me sorris.

No frio de uma noite que depressa finda
Enrodilhámos nossos corpos num desespero de despedida
E depressa se ergueu um Sol de espera
De dias infindáveis que vão para além do seu pôr
Para que a coberto de uma noite de cumplicidade
Te volte a olhar a alma, meu amor…


publicado por V. Pimenta às 13:43
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Francesco Leite a 8 de Junho de 2016 às 16:07
Quanta emoção velada nessas letras. Dá pra sentir. Eu sei lá se a percepção extra-sensorial ou se é o k. Não sei, sei que passa! Adorei!


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Foz

momentâneos

Turvo

Turbilhão de nada

iguarias

A QUÍMICA E A FÍSICA DOS ...

Efémera

Excertos

Sentenças...

...

arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Novembro 2004

Outubro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds